Conheça o processo de fabricação dos tanques em PRFV

9 - jul - 19PRFV

A Tecnipar Ambiental produz tanques em PRFV para suas Estações de Tratamento de Efluentes. E esses tanques também podem ser empregados para outras finalidades, por suportarem o armazenamento de mais de 200 substâncias, desde alimentos e água potável até produtos de alta agressividade química.

Mas como o tanque utilizado em uma Estação de Tratamento de Efluentes pode ser usado para armazenar substâncias tão diversas?

É preciso destacar que dois tanques podem ter aparências externas parecidas, quase idênticas, e terem composição estrutural totalmente diferentes. São os compostos utilizados na fabricação dos reservatórios que definem sua resistência e é este processo que iremos detalhar neste post.Afinal, o que significa PRFV? PRFV é a sigla utilizada pela indústria para se referir ao Polímero Reforçado com Fibra de Vidro. Essa substância é um compósito formado pela aglomeração de filamentos de fibra de vidro com resina poliéster.

 

E por que fabricar tanques em PRFV?

São muitas as vantagens de se empregar o PRFV na construção de um tanque ou reservatório: sua alta resistência a tração, flexão e impacto, o baixo peso, a baixa condutividade elétrica e a resistência a ferrugem, intempéries e substâncias químicas agressivas.

A resistência química do PRFV é atribuída à resina empregada no processo construtivo. A escolha da resina está diretamente relacionada ao tipo de material que será armazenado. O mercado oferece inúmeras composições. Por isso é tão importante saber cada detalhe do material a ser armazenado, a fim de selecionar o tipo de resina mais adequado.

 

4 camadas, 4 níveis de segurança

 

Os tanques em PRFV são produzidos em camadas com diferentes propriedades e funções. Para cada camada, utiliza-se uma composição diferente de fibra de vidro e resina. O objetivo é garantir a estanqueidade e as resistências química, estrutural e a intempéries.

A primeira camada, e mais interna de todas, é chamada de Liner e é formada com 90% de composto de resina especificada de acordo com o material a ser armazenado no tanque. Sua principal função é de proteger a segunda camada, a Barreira de corrosão, e assim, promover uma maior vida útil ao tanque.

A Barreira de corrosão tem 20% a menos da resina do Liner e é responsável pela vida funcional do equipamento, impedindo que o material armazenado no interior do tanque entre em contato com a terceira camada e comprometa a segurança do tanque.

A terceira camada é o Laminado estrutural, responsável pela resistência mecânica dos tanques. É construída utilizando o processo de filamento winding (ou enrolamento helicoidal), que garante maior confiabilidade e uniformidade na estrutura.

Para elaborar e confeccionar a camada do Laminado estrutural, alguns pontos são observados, como o terreno, a incidência e velocidade do vento no local de instalação, seu posicionamento (vertical ou horizontal), a forma de fixação (sobre pés ou laje) e as pressões interna e externa a que o tanque será submetido.

A quarta e última camada é chamada de Top coat, que consiste na aplicação de um gel para proteger o Laminado estrutural contra impactos, substâncias corrosivas e exposição aos raios UV. A mesma substância pode receber inúmeras opções de pigmentação para proporcionar brilho e cor ao tanque.

Não há necessidade de intervalos durante a construção de cada camada e o tempo de secagem varia entre 2 a 4 horas. Ao todo, em 16 horas é possível concluir a fabricação de um tanque em PRFV com capacidade para armazenagem de 70m³.

Leves, resistentes e versáteis, os tanques Tecnipar Ambiental são fabricados em modelos horizontais e verticais com capacidade de armazenamento entre 20 e 75 mil litros. Atendem com segurança vários segmentos industriais e comerciais, sendo indicados para inúmeras aplicações, como silos, reservatórios com agitadores entre outras.